Postar ou não postar…

Todo santo dia eu penso se vou ou não postar…e sobre o quê…

Gente é muito difícil isto.

Faz 15 dias exatos hoje que eu iniciei o BLOG e eu me preocupo com quem me lê, ou apenas quem entra no blog e percebe que eu não postei e fica sem o meu importantíssimo e excelente conteúdo…

Não me sinto obrigada a postar pois sei que meus posts tem que ser espontâneos pra sairem bacanas, senão não vale, mas me esforço e fico atenta a assuntos que podem abrir caminho para escrever.

Um bom exemplo de desenvolvimento de um post é o que houve agora, eu ia escrever sobre a dificuldade em se encontrar um assunto ou opinião, bacanas para escerver, e, logo na primeira frase eu já mudei e vou escrever sobre como eu me sito com este meu blog e os que me visitam aqui.

Sempre quis ter um blog, mas nunca fui em frente por não querer compromisso. Sim, ter um blog é ter um compromisso na minha opinião, se vc expõe opinião, segredos, histórias e quer que outros leiam, opinem ou xinguem vc está estabelecendo uma relação com estas pessoas e qdo se estabelece uma relação é preciso ter respeito, e mútuo. (no caso do leitor que te xinga, ele não está te respeitando, portanto bloqueia o babaca, se ele não gosta do que vc escreve não te visite e ponto! #prontofalei).

Está sendo muito bacana a minha relação com meu blog, eu fiquei mais atenta para assuntos que me dêem vontade de escrever, assuntos leves onde eu possa colocar meu jeitão de falar, (mentira…eu não falo só deste jeito não, eu também falo muito palavrão, mas como sou mulherzinha fica mais legal assim), eu leio com  muito carinho os comentários e fico contente pela interação.

Tudo isto veio inspirado pelos Twitteiros, estes blogueiros que falam sobre todos os assuntos possíveis. Ia vendo os blogs dos seguidores e dos seguidos, vários estilos e opiniões, tomei coragem e comecei.

Estou trabalhando no blog, não comercialmente, mas estou trabalhando para que outras pessoas venham ler, gostem, opinem. Este nosso sentimento de ser querido, ter pessoas concordando com a gente, usufruir de uma certa popularidade, é absolutamente normal e eu não tenho a menor vergonha disto. Existe alguém que goste de ser odiado? (Talvez, no momento exato que escrevi a frase, me veio um nome na cabeça, mas ser odiado é ser popular também certo, as avessas, mas é)

Concluindo, eu gosto muito de ser querida, lida, elogiada, popularzinha (confesso eu era, gordinha, baixinha e de óculos na escola), quem não gosta?  #prontofalei

Obs.: Gostei dum post de hoje do Sedentário & Hiperativo sobre as lápides pouco comuns, veja aqui. Eu achei o máximo, pq a maior parte conta um pouco da história daquelas pessoas e mostra como esta era querida pelos amigos e familiares. Das vezes que vou a um cemitério, olho algumas lápides, muitas são tristes, outras serenas e sempre penso, em como deviam ter sido estas pessoas…interessante não?!