Eles

Ela estava numa fase estranha, magra demais, meio blazé, falava menos, ouvia mais, pouca coisa a tirava do sério. Mas ela não queria ficar parada, queria se divertir, queria ver movimento.

Ela saia, se divertia, curtia, dançava, foi nesta épca que ela começou a aprender que tinha que ser, ela, original de fábrica, mas precisava ser mais ponderada, menos impulsiva e foi isto que ela fez.

Ela deixava a cabeça pensar antes de falar, isto foi “o” avanço, como as coisas tomavam um curso diferente desta forma. Divisor de águas.

Ela só deixava as coisas acontecerem, tentava interferir o mínimo possível. Ela havia concluído que deixaria a roda, rodar. Ela queria nada e ninguém, queria só, ela.

Querendo só e somente ela, apareceu, ele. Ela foi na onda, saiam para se divertir e nada mais, ela não sabia se queria ele. Ela, não queria estragar o lance legal, com ele.

Um dia ela teve vontade de ver ele, saiu de vestido longo no meio de uma festa e entrou num barzinho para encontrar com ele, todo mundo olhou mas ela nem ligou, sentou e tomou tequila.

De lá sairam, ela se divertindo com ele, num determinado momento, ele falou no ouvido dela, num beijo viraram eles.

Ela não procurou e ele apareceu, ela não ansiou, ela era só ela e ele simplesmente, ele. Ela na hora certa, no lugar certo, ele no lugar exato, na hora exata.

Hoje, eles são um só. Ela não vive sem ele, ele não fica sem ela.

#prontofalei