Dedo-duro e a Lei que pega

Hoje vi este link, do Blog do Ricardo Kotscho.

Resumindo é o seguinte, mesmo com a lei, há um incentivo para que civis, frequentadores de bar, dedurem os bares onde a lei não está sendo aplicada. Estes podem até chamar a polícia, enfim leiam pra entender.

25/05/2009 – 10:07

Caça aos fumantes convoca dedo-duros

Que maravilha! Está oficialmente aberta a temporada de caça aos fumantes. A lei antifumo do governo Serra só entrará em vigor no próximo dia 7 de agosto, mas quem não tiver mais nada para fazer pode desde já pegar em armas e se alistar na grande cruzada contra o cigarro.

“Governo Serra vai estimular `dedo-duro´na lei antifumo”, diz o título do caderno Cotidiano da Folha de domingo, acrescentando logo abaixo: “Clientes poderão enviar até fotos para denunciar desrespeito à legislação”.

Comandante-em-chefe das forças da lei, o secretário da Justiça, Luiz Antonio Marrey, dá a senha _ ”serão admitidos todos os meios de prova lícitos em direito” _  e convoca suas tropas:

“É importante que as pessoas defendam os seus direitos e exijam que ninguém fume em locais fechados”.

Como se fosse necessária uma convocação oficial… Assim que começou o debate sobre a lei antifumo, vários leitores do Balaio e de outros blogs e publicações já se ofereceram como voluntários para esta guerra sem quartel.

Posso imaginar a cena: milhares de cruzados antifumo percorrendo os bares e restaurantes da cidade, celulares em punho, prontos para flagrar os contraventores, dedar os estabelecimentos e chamar a polícia.

Já que todos os nossos problemas de segurança pública estão resolvidos, deixando os policiais à disposição para defender a lei antifumo, e o ar que respiramos em São Paulo está que é uma pureza só, o inimigo público número um a ser atacado passa a ser o cigarro.

Quer dizer, começa com o cigarro, mas em pouco tempo as tropas do dr. Marrey poderão ser empregadas também em outros combates. Hoje mesmo, no Painel do Leitor da mesma Folha já temos uma pista sobre o que nos aguarda.

O leitor Ricardo Marques (São Paulo, SP) indaga: “Será que a próxima medida será podermos fotografar os motoqueiros que trafegam na calçada para `fugir´dos automóveis parados no farol?”

Por que não? Uma vez nas ruas, as tropas de dedo-duros poderão também fotografar carros furando o farol vermelho, os buracos nas ruas, o lixo não recolhido nas calçadas, maridos traindo suas mulheres e vice-versa, tipos suspeitos em frente às lojas, táxis clandestinos, ambulantes sem licença com produtos paraguaios, estudantes matando aula, colegas de trabalho indo ao cinema na sessão da tarde, funcionários públicos usando o carro oficial para passear, desafetos em geral mijando fora do penico, falhas na iluminação pública, porteiros dormindo na guarita dos prédios, cachorros vadios cagando onde não devem _ não faltará serviço, com certeza.

Convido os leitores a completarem a lista dando novas tarefas aos dedo-duros. Em breve, quem sabe, poderão se esquecer até dos fumantes. E São Paulo se transformará num imenso arraial da delação, com todo mundo dedando todo mundo até que o último santo possa assumir o poder.

No caso da lei anti-fumo,  concordo que deveria ser “dedurado” um estabelecimento que não está cumprindo a lei, mas sem virar caso de polícia, sem viatura. Não há necessidade de se chamar a polícia se vc tiver  fiscalização e  fiscal, decentes e corretos

Mas LEI é LEI, se tá aprovado é LEI e pronto, quem não cumpre a LEI é punido, ir contra a LEI é CRIME. E o dedo duro deve também reclamar diretamente ao gerente e deixar de ir ao estabelecimento por um tempo, sei lá.

Lei tem que PEGAR, num pode ter isto de LEI que pega ou LEI que não pega, como assim?!

Concordo que esta “caça aos fumantes” está muito OVER, tem que ter limites e respeito aos dois lados, e eu, que sou atual futura ex-fumante, posso dizer que tem fumante que não respeita MESMO, que solta fumaça na sua cara, que não quer saber se a fumaça do seu cigarro está indo na mesa do vizinho, fuma junto com criança, etc… isto está errado…

Sobre os “dedo- duro”, eu acho que pode ser uma boa, vc ter fiscais, como as tiazinhas de supermercados que fiscalizam preços. Eu vejo a toda hora um cidadão de merda fazer algum absurdo, uma folga lazarenta, acende o pisca e sai do carro, no meio do fluxo pra pegar um documento, rapidinho, ali….para nas faixas de pedestres na maior cara de mogno, lança o McLanche Feliz pela janela do carro como se estivesse jogando lixo na boca do palhaço do Playcenter, pra estes e pra todos os exemplos citados no texto do Kotscho, acho que alguns podiam ajudar na fiscalização sim, denúnciar, apontar o erro de quem está fazendo errado é serviço pra si mesmo, pros outros cidadãos e pra cidade.

A verdade é que a gente iria assumir o trabalho da prefeitura e do governo, tudo errado. Mas eu prefiro reclamar e dedurar do que me calar e deixar que folgados me prejudiquem.

Reclamar de algo que te incomoda e te afeta como a maior parte dos exemplos dados aqui, não é delação é direito seu, se querem chamar de dedo-duro, ok… e sinceramente eu adoraria viver neste arraial de delação, se fosse pra melhor, se as coisas funcionassem como devem e as LEIS “pegassem”, seria o paraíso!!!

#prontofalei